quinta-feira, 2 de abril de 2015

CONSELHO SUECO AFIRMA QUE CARBOIDRATO LEVA À OBESIDADE

 21 de novembro de 2013  Reiner Requião
No dia 15/11/2013 o Conselho Sueco de Pesquisa em Tecnologia de Saúde afirmou na BJM que dieta com baixo teor de carboidrato é indicada para tratamento de obesidade e diabetes.
2Obesity
Vi a notícia no Grupo Dieta Paleo do Facebook através do Adolfo Neto (do Blog Professor Adofo Neto) e fiquei realmente feliz. Eu tive acesso ao documento do Jornal Médico Britânico (BJM) e queria trazer para vocês, mas por uma questão de direitos autorais não podia. Isso mesmo, não podia, encontrei um site (That Paleo Guy) que colocou, logo, estou traduzindo o site, que colocou na íntegra o pequeno texto da SBU. Segue:
Uma influente organização sueca de saúde recomendou uma dieta que é pobre em hidratos de carbono, mas com alto teor de gordura, para as pessoas que estão com sobrepeso, obesos ou com diabetes.
O parecer do Conselho Sueco de Pesquisa em Tecnologia de Saúde (SBU, tradução livre para “Swedish Council on Health and Technology Assessment”) é o resultado de um ano de revisão de 16 000 estudos científicos sobre dieta. A recomendação contradiz a crença generalizada de que as pessoas devem evitar alimentos que são ricos em gordura, especialmente aqueles ricos em gordura saturada.
O SBU, que faz as recomendações para o sistema de saúde sueco, concluiu que não há evidências científicas que suportam uma dieta de baixa gordura. Em vez disso, as pessoas deveriam se concentrar em reduzir a ingestão de carboidratos.
Fredrik Nyström, da Universidade de Linköping, que ajudou a desenvolver a orientação, disse recentemente a um jornal sueco local, Corren, que muitos de seus colegas haviam sido cético sobre a recomendação de uma dieta pobre em carboidrato e rica em gordura. No entanto, eles mudaram suas ideias quando eles revisaram a literatura científica.
“É ótimo ter este relatório científico, e notar que o ceticismo em relação a dietas pobres em carboidratos entre os meus colegas desapareceu no decorrer da obra. Quando todos os estudos científicos recentes estão alinhados, o resultado é indiscutível: o nosso profundo medo de gordura é completamente infundado. Você não engorda com alimentos gordurosos “, afirmou Nyström.
A diretriz recomenda que carnes e peixes ricos em gordura, juntamente com nozes e azeites, devem formar grande parte de uma dieta saudável, enquanto o consumo de massas, batatas e pão branco deve ser reduzido.
Acontece que o SBU já tinha falado isso em outro documento, “Tratamento Dietético para Obesidade”, e a nota é um chamado a ler estes resultados. Como não leio sueco e como são muitos detalhes, ficaria impossível trazer o documento aqui no blog. Porém o Dr. Andreas Eenfeldt do Diet Doctor  publicou uma postagem que afirma que esse relatório pode ser base para futuras orientações dietéticas dentro do sistema de saúde sueco (e tomara que no mundo), que também atesta que uma dieta lowcarb não é uma dieta da moda, e sim com fortes bases científicas, e destaca os principais pontos do documento, que aqui traduzo:
  • Marcadores de saúde: Os marcadores devem melhorar com uma dieta baixa em carboidratos, pois vamos receber:
… um maior aumento nos níveis de colesterol HDL (o “bom colesterol”), sem ter quaisquer efeitos adversos sobre o colesterol LDL (o “mau colesterol”). Isto aplica-se tanto a uma ingestão baixa a moderada de hidratos de carbono (menos de 40 por cento do consumo total de energia), bem como para uma dieta com baixo consumo em hidratos de carbono, mais rigorosa, quando a ingestão de hidratos de carbono é inferior a 20 por cento do consumo total de energia. Além disso, uma dieta estritamente com baixo consumo de hidratos de carbono irá conduzir a melhores níveis de glicose para os indivíduos com obesidade e diabetes, e diminuiu ligeiramente os níveis de triglicéridos.
  • Incerteza a longo prazo
A longo prazo, os estudos não mostram diferenças estatisticamente significativas entre os diferentes tipos de dietas, e as diferenças diminuem com o tempo. A SBU sugere que isto é devido complacência das pessoas, ou seja, elas simplesmente tendem a ter de volta os velhos hábitos.
Quanto mais estudos adicionamos, melhor podemos ver a clara vantagem de dietas de baixo carboidrato. Infelizmente a SBU excluiu todos os estudos que examinam os obesos e pessoas com sobrepeso. Se você incluir estudos sobre a perda de peso em pessoas com sobrepeso – para obter uma maior base científica – pode ser visualizada uma clara vantagem para a dieta pobre em carboidratos, mesmo depois de um ano: Nova Análise: LCHF melhor para peso a longo prazo e Saúde Markers (ainda não traduzi).
Um estudo bem desenhado, que foi retirado da análise do relatório SBU, ainda mostrou uma vantagem persistente para a dieta LCHF (tipo a do Atkins), após dois anos, apesar da dificuldade com os estudos de dieta de longo prazo. Para o efeito a longo prazo, se você manter uma dieta rigorosamente baixa em carboidratos, há apenas relatos sobre o peso (não traduzi) e os níveis de colesterol.
  • Atividade física
SBU também mata a idéia de que o exercício desempenha um papel importante na perda de peso. O exercício pode ser muito bom para a saúde, mas:
Revisões sistemáticas da literatura mostram que a adição de atividade física para uma intervenção dietética em indivíduos com obesidade têm, se for o caso, um efeito marginal sobre a perda de peso ao nível do grupo.
O efeito do exercício no peso, em estudos, é, em outras palavras, marginal ou inexistente. (Um post completo sobre isso foi publicado no site da Trustsports ).
  • Advertências contra LCHF são rejeitadas
Há uma grande falta de conhecimento sobre quais orientações dietéticas são melhores para a saúde a longo prazo. Nós simplesmente não sabemos.
Recentes advertências sobre dietas de baixo carboidrato são, na melhor das hipóteses, com base em associações estatísticas derivadas de questionários alimentares de pessoas que não (!) comem uma dieta baixa em carboidratos. A SBU também rejeita estas advertências:
A maioria destes estudos sofrem de deficiências graves, que os tornam difíceis de interpretar. A deficiência mais importante nesses estudos é que muitas vezes é impossível determinar se aqueles com o menor consumo fazem conscientemente uma dieta moderada de baixo carboidrato por motivos de saúde, ou se eles são grandes consumidores de fast-food.
A decomposição dos hidratos de carbono, gorduras e proteínas, o que em tais estudos são imaginativamente rotulado como “uma dieta baixa em carboidratos”, geralmente é muito semelhante à distribuição de macronutrientes em um hambúrguer com batatas fritas e refrigerante …
  • Rumo ao futuro
 Quais serão as conseqüências do relatório de hoje?
Conselhos sobre uma dieta baixa em carboidratos é no entanto muito raro, se olharmos para a pesquisa prática. Não está claro qual a frequência (que profissionais) desencorajaram fortemente os pacientes a seguir uma rigorosa dieta baixa em carboidratos. 
Uma dieta baixa em carboidratos, mesmo a forma mais rigorosa, vai levar a uma maior perda de peso em curto prazo do que a dieta de baixo teor de gordura, e estudos não indicam efeitos adversos sobre os lipídios do sangue, desde que o peso permaneça baixo. Uma possível conseqüência deste relatório será, portanto, um aumento da utilização (profissionais irão aconselhar mais) de uma rigorosa dieta de baixo carboidrato para redução de peso no curto prazo.
SBU sempre expressar-se com muito cuidado. Mas eles não podem dizer de forma muito mais clara: É hora para o sistema de saúde para levar a sério o conselho em LCHF para perda de peso!
Isto também é interessante:
… Não é possível tirar conclusões sobre a relação entre uma dieta pobre em carboidratos – independentemente do teor de gordura – e doença cardiovascular. Aqui podemos aplicar o princípio da precaução, e aconselhar alguma restrição na ingestão de gordura saturada, enquanto a documentação dos efeitos a longo prazo são insuficientes.
Muitos profissionais de saúde, sem dúvida (sem motivos melhores do que preconceitos) terão restrição em aconselhamento dietético com mais gordura saturada. Eu também já tive preocupações em relação à gordura saturada.
Seria maravilhoso se o sistema de saúde começassem a aplicar os benefícios de uma dieta de baixo carboidrato, antes mesmo do medo ultrapassado da manteiga derreter em todos os lugares(trocadilho eu acho: “fear of butter has melted”, hehe)
O relatório da SBU, “Tratamento Dietético para Obesidade”, é um passo gigantesco para orientações dietéticas mais eficazes dentro do sistema de saúde. Este é um dia histórico na Suécia.
manteiga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oferecemos arquivo de textos específicos, de documentos, leis, informativos, notícias, cursos de nossa região (Americana), além de publicarmos entrevistas feitas para sensibilizar e divulgar suas ações eficientes em sua realidade. Também disponibilizamos os textos pesquisados para informar/prevenir sobre crescente qualidade de vida. Buscamos evidenciar assim pessoas que podem ser eficientes, mesmo que diferentes ou com algum tipo de mobilidade reduzida e/ou deficiência, procurando informar cada vez mais todos para incluírem todos.