sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015


QUA, 04 DE FEVEREIRO DE 2015 00:03      ACESSOS: 209
Imprimir PDF
    

Fotos: Solar Roadways
Um casal de engenheiros recebeu financiamento de 2,2 milhões de dólares - mais de 5,5 milhões de reais - para tocar seu projeto que instala placas solares inteligentes em locais que hoje têm asfalto.
Julie e Scott Brusaw vêm trabalhando há oito anos no projeto Solar Roadways, que prevê a pavimentação das principais avenidas, ruas, calçadas e quadras poliesportivas dos Estados Unidos com placas fotovoltaicas especiais. (vídeo abaixo)

O principal objetivo da iniciativa é disseminar a captação de energia solar e possibilitar que a luz irradiada no asfalto possa ser transformada em eletricidade e utilizada para para ajudar a abastecer a iluminação pública, residências e o comércio.
Como funciona
O sistema inteligente é composto por módulos hexagonais formados por uma camada de base, uma de luzes LED e um vidro especial capaz de aguentar mais de 113 toneladas e ainda descongelar a neve acumulada. 
As lâmpadas LED ajudariam na demarcação das faixas e na sinalização das ruas.
Quadras e praças também seriam beneficiados e poderiam mudar sua demarcação para diferentes esportes, apenas reprogramando as luzes via software. 
Ao lado de uma via pavimentada com a Solar Roadways, uma canaleta deverá ser instalada com toda estrutura necessária para armazenar e distribuir energia.


Financiamento
O projeto já conseguiu dois financiamentos da Administração Federal de Rodovias dos EUA e está em seu segundo protótipo.
Com o crowdfunding a dupla arrecadou mais US$ 2,2 milhões pelo IndieGoGo e pretende, em breve, começar a implementar a solução.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oferecemos arquivo de textos específicos, de documentos, leis, informativos, notícias, cursos de nossa região (Americana), além de publicarmos entrevistas feitas para sensibilizar e divulgar suas ações eficientes em sua realidade. Também disponibilizamos os textos pesquisados para informar/prevenir sobre crescente qualidade de vida. Buscamos evidenciar assim pessoas que podem ser eficientes, mesmo que diferentes ou com algum tipo de mobilidade reduzida e/ou deficiência, procurando informar cada vez mais todos para incluírem todos.